Início | Regras | Estratégias | Artigos

Clubapostar
POKER
..............................................


..
Personagens do Pôquer: Identificando e Vencendo os Maníacos


Personagens do Pôquer: Identificando e Vencendo os Maníacos
O que faz o pôquer tão fascinante, fora o dinheiro é claro, são os diferentes tipos de pessoas que você encontra pelo caminho: o amador, o profissional, o Judeu, o Mussulmano, o branco, o asiático, o negro, o coxo, o temperamental, o bêbado, o absurdamente gordo, o que cheira mal, ou até mesmo as incrivelmente lindas, espertas, cosmopolitas mulheres jogadoras com grande coração e muito dinheiro. (Certo, eu ainda não encontrei ninguém que se encaixe nessa última descrição, mas se parece ser você, por favor mande uma fotografia, extrato bancário e endereço para eu conferir.) Todas essas pessoas tem idéias completamente diferentes sobre como jogar e pelo que estão jogando, seja por dinheiro, prestígio, para acabar com o tédio, ou simplesmente para impor "bad-beats" aos jovens jogadores brancos que acham que sabem tudo.

E se você já jogou pôquer alguma vez, você sabe que qualquer grupo de 10 jogadores terá 10 diferentes personagens -- ou mais, dependendo da saúde mental de cada um. Mas quando você se encontra sentado em um jogo com aumentos selvagem e sem fim (e aparentemente sem sentido), é fácil de ver os jogadores uniformemente e decidir que são todos maníacos.

Em meus anos de pôquer, aprendi que há tipos diferentes de maníacos, com estilos e papéis variados em seus jogos. Ao reconhecer isso, eu vi o problema com a abordagem prescritiva no livro Hold'em for Advanced Players de Sklansky. (Veja Sklansky Me Deixou Burro para mais sobre meus problemas com Sklansky.) Para tirar o máximo proveito de um jogo selvegem de hold'em, você deve reconhecer os maníacos que você enfrentará corretamente. Então vamos ver um grupo típico de desajeitados, estando especialmente atentos a quais estratégias você deve utilizar para lidar com eles.

O Elenco

Os rostos podem mudar de jogo para jogo, mas as personagens que você irá encontrar na mesa permanecem notavelmente constantes.

O Bêbado

A melhor forma de reconhecer este cara (muito raramente é uma mulher) é que ele está, bem, bêbado. Se você estiver perto o bastante você poderá sentir até o cheiro. E se você perceber que sua pele fica toda vermelha. Ele irá engolir as palavras e achar tudo engraçado -- até que ele (inevitavelemente) começa a perder. Quando jogar contra um bêbado, tenha em mente que eles ficam com a visão limitada. Eles nem estão pensando em você. Eles não se importam com o que você tem. Não é lugar para blefes mirabolantes que te deixam tão orgulhoso. Você será pago não importa o que faça. E também, ao tomar o dinheiro de um cara bêbado, tente ser o mais cordial possível. A raiva é múltiplicada por cinco quando há bebida no meio, e um taco de baseball na sua cabeça pode dar novo significado ao termo "bad beat."

O Fora de Controle

Este é o cara que, após levar uma ou duas "bad beat", começa a perder a cabeça e pagar com qualquer mão. Este jogador é mais complicado que o idiota comum pois ele pode ser um bom jogador quando está vencendo. Algum lugar de seu DNA de pôquer tem a memória do que é jogar um bom pôquer, e essas habilidades podem aparecer por reflexo a qualquer momento. Então você deve observá-lo muito de perto para ver se e quando ele sai do "tilt". Enquanto estiver em "tilt", você deverá pagá-lo até o fim pois ele esta tentando fazer você correr. E aqui eu tenho que separar as pessoas que entram em "tilt" em duas categorias diferentes.

Tem o azarão, que vai simplesmente pagar até o river com qualquer tipo de possibilidade ou par baixo, e então passar quando você apostar. Obviamente, você deve apostar contra esse jogador mesmo ser você tem a mão mais marginal. Por exemplo, se você está mano-a-mano depois do flop com J-10 e o flop vem K-10-3, vá enfrente e aposte. Se ele não aumentar aqui, você ganhará o pote na maioria das vezes, e você deve continuar apostando até e iclusive no river, a não ser que ele aumente. O último ponto não é divergente dos ensinamentos de Sklansky, especialmente porque, neste exemplo, você está contra um oponente fraco, passivo. Mas no tipo de jogo em que eu jogo, você terá que defender seu J-10 pré-flop de um jeito que o Sklansky não aprova se você quiser fazer qualquer jogada no flop.

A segunda categoria de pessoa descontrolada é o cara que sente como se suas próprias fichas são o inimigo. Isso acontece com jogadores que começam agressivos e, uma vez que levam alguns "bad beats", se tornam pit-buls. Você tem que tomar muito cuidado aqui, mas você também tem que ser muito corajoso. Apenas continue contra-atacando este tipo com qualquer mão. Na maioria das vezes você irá ganhar. Mas mesmo as pessoas em "tilt" podem ter par de ases, e algumas vezes você perderá o máximo quando aumentar em cima de um jogador muito agressivo, muito louco. Mas se você quer jogar em um jogo com maníacos, você precisa suportar as perdas e não entrar em "tilt".

O Podre de Rico

Você nunca saberá ao certo se alguém é realmente rico apenas pelo que eles falam na mesa. Mas um cara com que joguei a alguns meses atrás, "Yves" como irei chamá-lo, era um cara de meia idade, charmoso de Mônaco. Todos diziam que ele era rico e eu acreditei neles.

Minha tendência foi acreditar nos rumores de que ele era rico pois na última noite em que joguei contra Yves, ele me disse que iria sair em mais ou menos meia hora para jantar com sua namorada. Nós estávamos jogando 10-20, e ele tinha por volta de trezentos dólares a sua frente. Bem, ele começou a aumentar o pote em toda a oportunidade, quase nunca passando. Por que? Ele queria perder todas as suas fichas rapidamente para "poder" sair e chegar a tempo ao jantar. Ele poderia simplesmente ter trocado as fichas, mas como o dinheiro não fazia diferença para ele, qual o problema? No fim, ele teria de correr ao caixa e esperar lá impaciente, irritado por ter que esperar que lhe dêem o seu dinheiro.

Embora eu gostasse de Yves, eu me senti mal por não ter pego cada ficha que ele tinha. Eu apenas não tive cartas suficientes no curto período de tempo que ele tinha para acabar com suas fichas, e eu não consegui participar da doação de fichas (que, queridos leitores, pode acontecer muitas vezes).

Quando você encontra um jogador como esse, alguém que pode estar entre os dois tipos de descontrolados vistos anteriormente, você deve jogar como jogaria contra as máquinas em "tilt". Você deve ser agressivo, e você deve usar seu novo amigo rico como um trampolim para forçar outras pessoas a sairem e isolá-lo. A não ser que você esteja mano-a-mano com o cara rico e esteja procurando jogar devagar uma grande mão, você precisa aumentar contra ele, mesmo com o segundo par ou possívelmente apenas um grande ás que não acertou o flop (mas você não deve nunca blefar contra esse cara por razões que eu espero que sejam óbvias).

Além disso, você deve sempre ter em mente que a pilha de fichas dos jogadores maníacos irão aumentar e diminuir como ondas, e as vezes eles decidirão ir embora quando estiverem ganhando. Quando fizerem isso não ironize dizendo, "Obrigado pelas aulas." Se você fizer isso, você será estúpido e grosseiro. Em vez disso, diga "Foi bom jogar com você. Boa jogada."

Capitão Testosterona

Este tipo de jogador tentará te tirar do pote a força sem nada se setir o menor sinal de fraqueza em você -- e o Capitão Testosterona geralmente considera pagar como fraqueza. Este cara (é quase sempre um homem) é um dos maníacos mais difíceis de se jogar contra pois ele usa as fichas para intimidar você. Isso significa que na maioria das vezes você ficará adivinhando o que ele tem. Mas lembre-se: mais da metade das vezes em que tem essa opção, o Capitão irá aumentar, e se você estiver no pote e acertar qualquer coisa, você deve contra-atacar, da mesma forma que você faria contra o descontrolado que quer quebrar o mais rápido possível. Tenha em mente, também, que muitas vezes o Capitão Testosterona ladra mas não morde. Se você contra-atacar uma vez e eles não tiverem a melhor mão, eles geralmente diminuirão o ritmo. E então você sabe que o pegou. E se você não se sente tão forte para aumentar, você deve pagá-lo até o fim, algumas vezes até com apenas um ás, pois as chances de eles estarem blefando é alta.

O Aleatório

O aleatório também é difícil de jogar porque você nunca tem idéia do que ele está fazendo. Um sagaz advogado amigo meu chamado "Sherm" estava jogando em um jogo de hold'em limitado ao pote uma outra noite, e teve a oportunidade de ter um cara bem onde ele queria. Sherm tinha As Ks e o flop veio 4-8-J, todas de espadas. Sherm conseguiu fazer um cara que nunca tinha visto antes apostar tudo no flop. O turn foi um 6s, e após vier lixo no river, Sherm mostrou suas cartas: "flush com ás." O jovem contra quem ele está jogando tossiu e hesitou e disse, "Eu tenho um ... como é que se chama..." Você adivinhou: 5-7 de espadas. Ele tinha um straight flush (e mal sabia disso), e tirou todo dinheiro de Sherm. Sherm perdeu o gosto por jogos limitados ao pote naquela noite e veio juntar-se a nós em nosso jogo com limites. Mas, como me disse depois, ele não sentiu que realmente perdeu o dinheiro. Como Sherm disse, "Eu o deixei ficar com as fichas por um tempo, e depois ele devolveu um pouco de cada vez."

É difícil de colocar o Aleatório em uma mão porque nem ele sabe que mão tem. Então, ao jogar contra o Aleatório, você tem que supor que está na mão sozinho mas, ao final da mão, o crupiê vai virar as duas próximas cartas do baralho e você deve vencê-las. Aqui você precisará de uma boa noção de probabilidade. Se você tem A-Q e não fez um par, você ainda estará vencendo estas duas cartas aleatórias? Estas são as decisões que você terá que tomar.

Jason versus Freddy

Algumas vezes dois jogadores irão, por alguma razão, começar sua própria guerra na mesa de pôquer. Se eles são agressivos e tem um detector de fraqueza bem ajustado, eles blefarão direto. Ser pego com uma mão medíocre entre dois maníacos duelando pode ser complicado pois um dos dois pode estar dizendo a verdade. (Repita isso a si mesmo pelo menos uma vez por semana: até os maníacos podem ter ases.) Aqui você deve ter uma noção da esperteza dos dois. Infelizmente, muitas vezes a resposta é "muito esperto" -- cada um deles lê o outro corretamente e jogam de acordo. E, o que é ruim para você, o jogo está fora de controle.

É como a diferença entre um jogo de Omaha de limites baixos e um de limites altos. Em limites baixos, você dá de cara com uma mão imbatível regularmente, e é difícil blefar, então o estilo Sklansky serve bem. Nos limites mais altos, as pessoas podem ser consideradas muito inconvencionais nos limites baixos -- estamos falando de mãos lixo --e muitas vezes você não sabe onde está. E, como Paul Newman disse em A Cor do Dinheiro, você não quer ser o cara que fica adivinhando; você quer ser o que ninguém sabe o que tem.

Uma boa jogada para se condiderar se estiver encurralado entre Freddy e Jason: se você tem uma boa mão, apenas pague o big blind e deixe os aumentar e reaumentar um ao outro. Este é um duelo pessoal entre dois jogadores selvagens, então deixe-os continuar pensando que só há eles no pote. Então mostre a eles o melhor par com bom kicker, que geralmente é o bastante. Ou se você tem uma mão que é boa porém um pouco frágil (digamos que você tem dois pares em um flop com três de espadas), use um dos maníacos como trampolim: o primeiro maníaco aumenta e você reaumenta o mais calmo dos dois maníacos, esperando isolar o primeiro com seus dois pares caso o cara que você está tentando tirar do pote tenha um 4 de espadas ou algo do tipo e esteja tentando fazer um flush fraco no river. (Acha que isso não acontece? Você tem lido muito Sklansky.)

Então, o que fazer quando está em uma mesa com essas personagens? Principalmente se você encontrar mais de uma personagem em cada jogador?

Sklansky Neles

Agora para o Doutorado: o que fazer quando todos na mesa são lunáticos com a boca espumando e todos os potes tem ao menos sete pessoas e três apostas.

Paradoxalmente, aí é onde Sklansky pode te ajudar. Quando estiver jogando contra maníacos, jogue mãos fortes, mas não todas elas. Por exemplo, uma mão como A-Q de naipes diferentes perde valor com tantos na jogada. Por que? Porque (e aqui está o segredo que fará você ganhar tanto dinheiro que passo mal de incluí-lo aqui) os maníacos de vez em quando estão pagando com alguma coisa. Não muito, apenas... alguma coisa.

Por exmeplo, um maníaco vê uma mão como A-9 de paus e pensa que tem um monstro. Bem, ele já jogou mãos bem piores, certo? Então ele aumenta. Nesse ponto, você está triturando o maníaco com seu A-Q. Mas quando seis outras pessoas pagam, de repente você está quase morto. Então uma mão como 3-4 do mesmo naipe cresce tremendamente em valor pois, na maioria das vezes, a maioria das mãos estarão concentradas na parte superior do baralho, deixando suas cartas vivas. A mesma coisa se o flop vier A-K-8 de naipes diferentes. Quando você tem 3-4, você pode facilmente se livrar da mão. E isso, como você deve saber, pode economizar muito dinheiro a longo prazo.

Pense em quanto dinheiro você perdeu com par de reis quando um ás vm no flop e você paga até o river, sabendo que está derrotado, porque... por que? (Bem, isso dá um outro artigo inteiro.) E você quer evitar a situação onde, digamos, você pagou com J-10 de naipes diferentes e veio um J no flop mas você não sabe se tem o melhor valete, e irá te custar algumas fichas para descobrir. O que me leva a outro ponto: saiba quanto dinheiro você têm.

Você deve lembrar que se as pessoas estão aumentando em todas as rodadas, um jogo 10-20 pode se parecer com um 20-40 rapidamente. Então os 500 dólares que você trouxe podem acabar em meia hora facilmente. Você deve estar alerta para a possibilidade de que se você está mesmo disposto a entrar no jogo, em uma noite ruim você pode perder dois mil nesse jogo de 10-20. E novamente, se você quer "Sklanskyar" e esperar pela mão imbatível aqui, muitos dos maníacos mais espertos vão ler seu jogo, e toda vez que cartas baixas sairem no flop eles irão aumentar tentando te testar. Você não quer isso. Você quer ser incerto. Você quer que eles pessam mesa.

Quando saiu a Parte I desse artigo, muitas pessoas tentaram me dizer que ao jogar da maneira Sklansky nesses jogos, o "melhor" a fazer é ser mais conservador. É difícil para mim argumentar o quanto insanamente fraca eu acho que é essa abordagem. Você pode fazer dinheiro assim? Claro. Eu vivo em Nova Iorque, e muitas vezes vejo pessoas sentadas na calçada, pedindo esmolas. Esta abordagem de fazer dinheiro é até melhor do que jogar seguro como uma rocha em um jogo muito solto -- ao contrário do pôquer, ao menos você nunca perde dinheiro dessa forma. Peça esmolas por um longo período de tempo e você pode ganhar 1 milhão de dólares, mas levará um milhão de anos. E é assim exatamente como eu me sinto sobre esperar pela mão imbatível em um jogo cheio de maníacos: você fará dinheiro (se você puder agüentar as variações de dinheiro que terá, não importa o quanto seguro você jogue), mas acumular fichas será como olhar uma geleira derreter. É realmente para isso que você está na mesa?

Seja qual for o guru que você decidir seguir, sempre, sempre confira o concelho que você vê em livros (e aqui nesse site) com o que você aprendeu no mundo real. E não se esuqeça: você não ganha dinheiro de jogadores de livros e de simulações de computador, você ganha das pessoas. Então veja, ouça e lembre-se.

Na luz de toda controvérsia que a primeira parte deste artigo gerou, eu quero deixar uma coisa bem clara: Nem por um segundo eu contestei o fato de que David Sklansky é uma pessoa brilalhante com muito a oferecer. Sua argumentação do conceito de semi-blefe, que era nova para mim no momento em que o li seu livro, valeu muito mais do que paguei pelo livro barato por si só. Mas digo a vocês, a comunidade do pôquer, que quando Sklansky sugere que mãos como par de setes e Ax do mesmo naipe sejam jogadas da mesma maneira na mesma posição, ele está falhando com seus leitores. Estas são duas mãos, muito, mas muito diferentes e devem ser jogadas como tal. Eu quero dizer, meu Deus, um capítulo inteiro poderia ser escrito só sobre essas duas mãos.

Ultimamente, o conceito inteiro de agrupar mãos da maneira Sklansky é na melhor das hipóteses inútil e na pior pode custar muito dinheiro. E o livro é cheio de informações que podem custar muito caro. A idéia, por exemplo, de que você deve passar com K-Q do mesmo naipe por uma aposta é de uma insanidade tremenda. Ninguém jamais faz isso e nem deveria. E se, milagrosamente, há um jogo tão conservador que você sabe que está tem poucas chances com seu K-Qs contra um aumento de alguma rocha coberta de musgo a sua direita, então por que você quer jogar neste jogo? Você terá sorte se ganhar mais que as taxas da casa em um jogo como esse. E o livro é temperado com exemplos exatamente como esses.

Eu entendo que há um bando de jogadores de pôquer que discordam fortemente de mim, que sentem que eu interpretei errado a Sabedoria do Mestre e maculei O Sagrado Espaço Cibernético com minha Descrença. Tudo o que posso dizer a eles é isso: usando o conhecimento duramente adquirido dos livros do Sklansky, eu o convido a vir a meu clube e jogar em meu jogo e tomar meu dinheiro. Me faça acreditar.

- Ephraim Samuel Rosenbaum Palavras chave: artigos de poker, artigos traduzidos, artigos de poquer, artigos poker, artigos poquer, poquer, poker online, play Texas Hold'em, Chinese, online, poker, gambling, gaming, cardroom, card game, pokerroom, poker, online poker, video poker, poker rules, free poker download, promotions, freeroll tournaments








Casinos online da Europa
Casinos online da Europa - European Union


Sobre       Advertise       Programa de Afiliados de Casino e Esportes


@ 2001 - 2019 Club Apostar. Todos os direitos reservados.

Sitemap


Bodog Esportes Portugues